Investimentos

Entenda como é feita a taxação de IR no investimento em FIDC

Por 7 de fevereiro de 2018setembro 27th, 2019Sem comentários

O Fundo de Investimentos em Direito Creditórios (FIDC) é um dos tipos de investimento em renda fixa mais vantajosos, conforme temos explicado em outros textos aqui no blog, por oferecer segurança aos cotistas e apresentar a maior rentabilidade, por exemplo. Embora existam todos esses benefícios, uma dúvida que permanece sendo bastante comum é em relação ao Imposto de Renda (IR) que incide sobre ele, afinal, é essencial analisar a alíquota antes de colocar seu dinheiro em qualquer negócio, concorda? Por isso, neste artigo vamos explicar como ocorre a taxação de IR no investimento em FIDC, segundo as determinações da legislação tributária.

Bom, antes de falarmos sobre o imposto em si, é importante entender o que é exatamente um FIDC, pois é a partir dessas características que a lei determina as alíquotas. O Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios é um investimento em renda fixa com aplicação em recebíveis, ou seja, créditos que uma empresa tem a receber. Em outras palavras, trata-se de um investimento em que os cotistas já sabem quanto devem receber no vencimento do contrato e é essa informação que define as regras para o pagamento do IR.

A legislação tributária define essas regras num processo que chamamos de progressão de imposto. Esse nome está relacionado à variação da alíquota aplicada, que muda de acordo com o tempo de vigência do contrato, podendo ser de 25% (quando as carteiras têm prazo de investimento igual ou inferior a 180 dias), 20% (quando o prazo for acima de 180 e igual ou inferior a 730 dias) ou de 15% (quando o vencimento das carteiras for igual ou superior a 730 dias).

A menor taxação de IR no investimento em FIDC

Na Valorem nós trabalhamos com o fundo de investimento fechado, de modo que os cotistas apenas podem sacar no vencimento do contrato, que é de longo prazo, com duração de dois anos, ou seja, 730 dias. O resultado é que a alíquota de IR é a menor possível, sendo de apenas 15%, e aplicada apenas sobre o que for sacado.

E esta não é a única vantagem do Valorem FIDC. É preciso ressaltar que o pagamento do imposto é feito apenas na retirada do dinheiro. Dessa forma, seu dinheiro pode crescer tranquilamente sem o pagamento mensal de IR, como ocorre com outras aplicações similares. Somando isso à alta rentabilidade, devido à garantia oferecida pelas cotas subordinadas e pela carteira formada por recebíveis extremamente pulverizados, podemos verificar excelentes ganhos para os investidores, que têm um retorno de 125% do CDI.

Por isso, se você está buscando uma nova forma de fazer seu dinheiro render, não hesite em investir em FIDC. Para entender melhor sobre esse fundo de investimento, baixe gratuitamente nosso e-book e fique à vontade para entrar em contato com a nossa equipe. Estamos a postos para ajudá-lo!

Comente