Assessoria de cobrança

Sozinha, cobrança automatizada pode não ser eficaz. Entenda

Por 27 de setembro de 2016dezembro 2nd, 2019Sem comentários

A automação é uma realidade presente em muitos lugares. Trata-se de algo que faz parte, de forma natural, de inúmeras operações comerciais e industriais. Diante disso, na área dos negócios, a cobrança automatizada não poderia deixar de existir. Ainda assim, é preciso ter um cuidado redobrado com a contratação de um serviço desse tipo. E a gente vai explicar por quê.

 

O primeiro grande desafio das soluções automatizadas é garantir que o contato tenha recebido o recado. Uma das dificuldades nesse sentido é caso a pessoa realmente não receber a mensagem: o e-mail cair no spam ou no lixo eletrônico, a ligação eletrônica ir para a caixa postal que nunca é acessada ou o SMS não entregue ao destinatário por problemas de rede ou com o armazenamento no celular.

 

Outra hipótese é em relação à atitude de quem deve ser avisado. A pessoa, deliberadamente, pode optar por não acessar mensagens de cobrança ou não se sentir segura em acreditar numa peça automatizada, como um e-mail.

 

São dificuldades imprevisíveis que podem atrapalhar o trabalho. Mas é importante frisar que nós não estamos sugerindo que a sua empresa abra mão desse tipo de solução. Ela, de fato, cumpre seu papel e é ser extremamente positiva em muitas ocasiões. O que não pode ocorrer é limitar toda a estratégia de cobrança apenas neste caminho.

Usar só a cobrança automatizada pode prejudicar os resultados

Falamos um pouco sobre os percalços que podem haver no recebimento de um aviso de cobrança automático. Entretanto, outro aspecto que precisa ser levado em consideração é relativo à recepção que o devedor vai ter desse recado.

 

Quando existe uma abordagem humanizada, com uma pessoa entrando em contato, este profissional já consegue identificar a disposição do sacado em resolver a situação. Inclusive mencionamos em outro post aqui no blog que existem diferentes situações em casos de inadimplência: a dívida e o calote. Elas podem ser percebidas a partir de uma abordagem pessoal — e aqui não necessariamente precisa ser presencial, é bom que fique claro.

 

Fazer esse contato é de suma importância para planejar os próximos passos e conduzir a cobrança pelo melhor caminho a fim de resolver a pendência. Além de ser vantajoso para quem cobra, é positivo também para quem atende a ligação. É fundamental demonstrar o desejo de ajudar, de compreender o que está ocorrendo, de propor uma negociação. Máquinas não conseguem fazer isso. Como consequência, por ser uma alternativa mais fria e distante, os resultados podem ser inferiores aos esperados.

Utilizar as duas estratégias é um bom caminho

Não podemos encerrar este texto sem deixar claro algo bem essencial: uma solução não exclui a outra. É perfeitamente possível adotar as duas metodologias. Claro, elas serão utilizadas em momentos diferentes, e por isso serão complementares.

 

Fazer uma ligação antes do vencimento da fatura, na data ou no dia seguinte pode parecer grosseiro. Mas uma mensagem em tom de lembrete é bem interessante, especialmente se funcionar como uma prestação de serviço. Imagine a possibilidade de, junto com o aviso, enviar também um link para a impressão de uma segunda via do boleto! É uma saída inteligente e não vai ser vista como algo desrespeitoso.

 

Contudo, a negociação, a cobrança mais intensiva precisa realmente partir de uma pessoa. Só alguém bem preparado saberá recuperar esse valor sem prejudicar a imagem da sua empresa e sem perder o cliente por conta de uma abordagem agressiva.

 

Comente