Investimentos

Segurança nos investimentos é requisito para aplicações lucrativas

Por 20 de outubro de 2016setembro 27th, 2019Sem comentários

Mudam as perspectivas do mercado ou o cenário econômico e os sites especializados já começam a fazer previsões. Em certo momento, determinadas aplicações são mais adequadas por renderem mais, em outras situações, um investimento diferente é recomendado por ter mais liquidez ou por ter um risco que compensa. O fato é que mesmo aqueles investidores mais arrojados não fazem uma escolha querendo perder. Por isso, a segurança nos investimentos será, sempre, o ponto fundamental em qualquer circunstância econômica.

Até mesmo as investidas na Bolsa de Valores não são decididas por mera sede de adrenalina. É preciso ter coração forte, é verdade, mas por trás dessa recomendação há uma estratégia clara com o objetivo de ganhar dinheiro, procurar a melhor rentabilidade e se submeter ao menor risco possível. O que difere esta de outras aplicações é a possibilidade de, em longo prazo, ter um retorno superior. Mas a que custo? Depois de quantos altos e baixos?

Por isso que, em qualquer tempo, os investimentos rentáveis, seguros e com boa liquidez são as melhores alternativas. Os investidores precisam ficar atentos porque, de fato, muitas aplicações são apenas seguras, mas podem representar perda financeira por ter um rendimento tão inferior que pode ser inexistente em meio à inflação. O melhor é combinar todos os fatores listados anteriormente para não sair perdendo nem pela insegurança, nem pela baixa rentabilidade.

FIDC: risco controlado e retorno superior

Para quem quer ter um Investimento com risco calculado, com retorno superior ao praticado pelo mercado Financeiro, o FIDC – Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios — é uma opção valiosa. Além de ser uma aplicação em renda fixa com rendimento superior ao CDI, ele garante uma segurança importante por estar bem diluído em recebíveis. Ou seja, os direitos creditórios aos quais ele está associado são muitos. Se em algum deles houver qualquer perda, não haverá um prejuízo significativo porque aquele único crédito representa uma porcentagem mínima do valor total.

Além disso, o FIDC proporciona uma economia com o pagamento do Imposto de Renda. Como se trata de uma alternativa em médio e longo prazo, a tributação incidirá somente pelo valor resgatado após o período contratado. E mais: se você decidir não sacar a totalidade do valor a que tem direito, o valor remanescente será taxado no próximo resgate.

Debêntures: segurança nos investimentos e liquidez

Por meio de um processo de securitização, os direitos creditórios podem se transformar em debêntures. Assim como no FIDC, este também é um investimento em renda fixa, com bom retorno e segurança superior, igualmente atrelado aos créditos a serem recebidos pela securitizadora.

A diferença das debêntures é que elas têm uma liquidez maior. Quer dizer, o investidor pode sacar o dinheiro ao qual tem direito a qualquer tempo, sem a necessidade de uma espera. Dessa forma, o investidor tem mais flexibilidade na administração das suas aplicações e pode fazer uso dos rendimentos quando julgar mais oportuno.

Então é isso: na hora de investir não arrisque só pelo fato de uma determinada alternativa prometer um retorno maior. Embora a rentabilidade seja essencial ao optar por um investimento, a segurança é um fator primordial para que o seu dinheiro não se perca e para que você, efetivamente, faça ele trabalhar em seu benefício.

 

Comente