Investimentos

Retomada na economia privilegia ambiente de investimentos

Por 22 de março de 2017setembro 27th, 2019Sem comentários

Existe um movimento de retomada na economia que pode privilegiar um novo momento para investidores de todo país. Você deve ter acompanhado: em março o Brasil registrou mais contratações do que demissões, após 22 meses de queda nos resultados do mercado de trabalho nacional. Os dados são do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged) e, ainda que não estejam diretamente associados ao ambiente de investimentos e sirvam apenas como um exemplo, dão o tom de uma recuperação tão noticiada e esperada.

Isso porque a geração de postos de trabalho costuma ser um importante sinal de que as engrenagens estão funcionando com mais velocidade. Ou seja, se há contratações é em razão da urgência das empresas em atender a uma crescente demanda. Assim, se a necessidade em algum elo da cadeia de suprimentos está maior, quer dizer que ela está movimentada ou em processo de aceleração, o que garante mais impulsão a todos os envolvidos. Na ponta final, lá no consumidor, a expectativa de compras aumenta e o varejo também ganha com isso, reiniciando um ciclo que é benéfico para todos.

Os investimentos num momento de retomada na economia

Nesse cenário, investir pode ser a melhor decisão para aproveitar este momento promissor com sabedoria. Afinal, essa é uma decisão que está além de uma simples maneira inteligente de expandir o patrimônio e fazer o dinheiro trabalhar para si próprio. Na verdade, trata-se de um recurso interessante para ter uma reserva nos momentos adversos e impedir que situações delicadas no cenário econômico afetem a autoestima, os negócios e interrompam as metas previamente traçadas.

No entanto, é preciso escolher bem. De acordo com o Banco Central, a inflação acumulada em março está em 4,76%. Embora menor que nos últimos meses ― novamente indicando uma evolução no quadro macroeconômico do país ―, ela ainda está acima da meta central, de 4,5%. Por isso, optar por uma aplicação qualquer sem um critério bem delimitado pode fazer você perder dinheiro para a inflação. Caso opte por ser mais ousado, há o risco de perder dinheiro em alternativas pouco seguras, capazes de encolher os seus ganhos num momento tão instável da economia.

Portanto, o melhor a se fazer é buscar segurança e rentabilidade. É preciso aliar esses dois fatores para fazer com que o investimento seja, de fato, uma medida de precaução para o momento atual e provisão para o futuro. Atendendo a essas características, o FIDC comporta-se como uma alternativa extremamente eficaz. Por outro lado, se houver necessidade de mais liquidez, as debêntures podem ser uma escolha bastante adequada. Em ambos, o investidor protege os seus recursos, acumula uma renda acima da média do mercado nesse tipo de aplicação e consegue se planejar melhor.

Entre em contato com a Valorem e receba as informações que você precisa para investir com a certeza de estar seguindo pelo melhor caminho. E para entender melhor sobre o FIDC, confira um e-book exclusivo que preparamos contando os detalhes desse investimento!

Comente