Assessoria de cobrança

Régua de serviços: saiba o que é e por que este conceito é importante

Por 28 de setembro de 2018dezembro 2nd, 2019Sem comentários

Régua de serviços é um conceito utilizado por assessorias de cobrança para definir as ações que devem ser tomadas para a realização eficaz desse trabalho e quando essas ações devem ser iniciadas. Esta régua é dividida em fases, que começam antes do prazo para pagamento e estendem-se até 360 dias após o vencimento da dívida ― depois disso, as chances de recuperação da dívida caem muito.

 

Por meio da régua de serviços, as assessorias de cobrança conseguem saber o momento certo de avançar nas estratégias de recuperação dos títulos, oferecendo espaço para que o inadimplente possa se organizar e, ao mesmo tempo, intensificando a abordagem. Dessa maneira, a empresa que possui o direito sobre os recebimentos tem mais chances de ver liquidado o débito.

As fases da régua de serviços

Antes do vencimento já começam as ações preventivas, que se estendem até 30 dias depois do prazo. Dessa forma, a assessoria de cobrança inicia a sua atuação fazendo a gestão dos recebíveis, lembrando o cliente da data para o pagamento e se colocando à disposição para esclarecer eventuais dúvidas ou dificuldades, sempre com o objetivo de garantir o pagamento na data certa.

 

Contudo, se a data passou e o pagamento ainda não aconteceu, os profissionais responsáveis por essa abordagem adotam a fase que é conhecida por “abordagem inteligente”. Nesta etapa, o inadimplente é contatado e lembrado a fazer a quitação da dívida. Os argumentos utilizados sempre acontecem no sentido de recuperar o crédito e conseguir novamente abertura para novos negócios.

 

Caso esse atraso complete 31 dias, a estratégia muda. Aqui, já começa a fase das ações resolutivas, que se estendem até 360 dias. Esta fase compreende a elaboração de planos de ação específicos para cada cliente inadimplente e a identificação das partes críticas do trabalho.

 

Paralelamente, são definidos mark-ups para início das campanhas de desconto, protesto de títulos, redução dos juros e, como medida extrema, a definição de quais títulos serão dados como perdidos. Para evitar isso, no entanto, a cobrança é intensificada conforme as fases vão avançando, de modo que o inadimplente se sinta motivado a regularizar a sua situação.

 

Essa motivação depende de uma plataforma de negociação prática e simples, de modo que o cliente tenha facilidade em optar pelas melhores condições para pagar a dívida com tranquilidade e sem pressões. Aqui, a oferta de condições de pagamento variadas faz toda a diferença, até porque é preciso dar condições para que o devedor quite o débito sem dificuldades.

 

Nesse sentido, os cartões de crédito e débito e o boleto bancário podem ser opções interessantes para o cliente inadimplente. Ele pode optar por uma dessas alternativas ou intercalar as três. O importante é que a assessoria de cobrança seja flexível nesta etapa para que se criem as condições ideais para o efetivo pagamento. Quer dizer, de nada adianta renegociar se o cliente não pagar.

 

Daí é importante a preocupação em ouvir o cliente. O resultado da negociação precisa ser bom para ambas as partes. O credor precisa receber e o cliente precisa ser atendido nas suas dificuldades, inclusive no que diz respeito à flexibilidade na formatação do acordo. Uma proposta muito dura e inflexível pode dificultar tudo, levando à quebra do que foi combinado. E a culpa, neste caso, pode nem ser exclusiva do devedor.

As vantagens da adoção da régua de serviços

A adoção da régua de serviços permite uma eficácia maior nas ações de cobrança. Os motivos são vários: organização mais qualificada das ações a serem tomadas, parametrização dos momentos a evoluir com as ações de recuperação da dívida, aumento da seriedade da empresa e do processo de cobrança perante o cliente.

 

Um devedor que sabe o que efetivamente será protestado tende a priorizar o pagamento daquele título em risco. Além disso, como forma de valorização do próprio capital, os clientes tendem a quitar títulos sobre os quais estão incidindo muitos juros e multas. Tudo depende da qualidade da argumentação do profissional de cobrança.

 

É neste ponto que fica clara a importância de um pessoal qualificado e capacitado para fazer este trabalho. Assumir internamente a responsabilidade pela cobrança de inadimplentes pode ser arriscado. É que a régua de serviços não é uma fórmula fechada. Ela depende de um planejamento estratégico e um olhar muito individual para a realidade de cada devedor.

 

Além disso, a própria abordagem pode ficar comprometida caso o profissional não tenha a qualificação e os requisitos necessários para fazer uma argumentação firme e resiliente. Ter sucesso na cobrança empresarial, portanto, depende muito de conhecimento de mercado e da experiência nesta atividade.

 

Esperamos que este artigo tenha sido esclarecedor. Caso você precise de soluções financeiras qualificadas para a sua empresa ajustar as contas enquanto a cobrança está sendo estruturada, conte com a Valorem! É só entrar em contato conosco e ver como podemos ajudá-lo!

 

Comente