Investimentos

Saiba quais são os investimentos favoritos dos milionários

Por 18 de abril de 2019dezembro 17th, 2019Sem comentários
Investimentos favoritos dos milionários

Quando se tem muito capital disponível, economistas e especialistas indicam que o melhor a fazer é investir, seja para para conseguir uma rentabilidade maior, seja para viabilizar uma construção mais rápida do patrimônio. Contudo, as dúvidas começam a aparecer na hora de escolher o caminho para que esses recursos gerem os melhores resultados possíveis. É aí que estudar os investimentos favoritos dos milionários pode ser de grande ajuda na busca por referências e casos de sucesso.

Afinal, se ganhar dinheiro exige esforço — e multiplicá-lo de verdade é um desafio ainda maior —, o mesmo não pode ser dito sobre perdê-lo. Sem uma boa avaliação de riscos e muita pesquisa, um patrimônio que levou décadas para se acumular pode murchar rapidamente. Nesse sentido, a busca por investimentos sólidos, rentáveis e seguros deixa de ser uma questão relacionada ao perfil de investimento para se tornar quase um pré-requisito na hora de aplicar esse dinheiro.

E sabendo que essas boas referências podem ajudar e inspirar você na tomada de decisão, que tal conferir uma análise dos investimento favoritos de quem tem muito capital disponível e experiência para escolher as melhores aplicações? Confira!

Decifrando os investimentos favoritos dos milionários

Quem não é familiarizado ao universo dos investimentos de capital já deve ter esbarrado em alguma das mitologias criadas a respeito dos hábitos dos muito ricos. Como se esse público tivesse acesso a fundos e investimentos superexclusivos por terem uma renda superior e ponto final. A realidade do mercado, entretanto, é bem menos glamurosa e consideravelmente mais pragmática.

Isso porque a maioria dessas modalidades de investimento, mais rentáveis e populares, são acessíveis também àqueles que não têm muita experiência em aplicações financeiras. É o que mostram as estatísticas da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), que compila dados segmentados por renda, permitindo que qualquer investidor acompanhe os movimentos de cada classe (varejo tradicional, alta renda e private).

É de olho nesses dados, inclusive, que podemos notar um crescimento expressivo dos investimentos dos mais ricos nos segmentos de private e de alta renda, especialmente em relação ao varejo tradicional. Isso porque ambos registraram um aumento superior aos 10% entre 2016 e 2018, enquanto o varejo tradicional cresceu apenas 7,4%. Em outras palavras, um sinal de que não falta disposição aos muito ricos na hora de diversificar a carteira.

Não é a toa que as aplicações em fundos de investimentos, que representavam 41,1% das aplicações da alta renda em 2016, em 2017 subiram a participação para 49% e, ao longo de 2018, atingiram 51% desse total. Dentro disso, os fundos multimercados foram os que mais cresceram, atingindo uma participação de mais de 10%.

Outro dado importante de se observar é que os milionários também não mostraram timidez na hora de investir nos fundos de ações, que subiram de R$ 4,9 bilhões para R$ 8 bilhões em apenas um ano, aumentando a participação total de 0,7% para 1,2%. O mesmo vale para os aplicações diretas em ações, que cresceram de R$ 23,5 bilhões para R$ 31,4 bilhões, com a participação passando de 3,4% para 4,0%.

Contudo, é fato que os fundos de investimentos atrelados ao varejo tradicional seguem recebendo bastante atenção dos milionários e dos muito ricos, mostrando que uma parte significativa dos investidores ainda prefere manter o controle dos ganhos à rédea curta com essas aplicações mais conservadoras.

Mais segurança para os fundos de investimentos

O bom momento dos fundos de investimento tradicionais tem motivo. Essa modalidade, além de ter aplicações em todas as classes de ativos e, portanto, já oferecer a diversificação que muitos investidores procuram, também é a que conta com as melhores opções de gestão profissional e especializada. Afinal, investir sozinho em um contexto de baixa taxa de juros é uma tarefa complicada.

Isso ajuda a entender como esses fundos de investimento têm atraído cada vez mais as pessoas em busca de uma alternativa mais rentável ou dispostas a diversificar a carteira sem a preocupação de ter de administrá-las muito de perto. Além disso, estar na mira da carteira dos milionários também suporta a capacidade que esse investimento tem de trazer um retorno qualificado para quem investe.

Nesse contexto, não é surpresa que as últimas estimativas da Anbima apontam, por exemplo, que os Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios (FIDCs) devem crescer dois dígitos ainda em 2019. Um impulso que surge tanto da melhora econômica quanto do grande número de investidores que já veem o FIDC como uma eficiente alternativa de crédito.

Veja bem: o patrimônio líquido dos FIDCs alcançou R$ 113,3 bilhões só em dezembro de 2018, alta de 2,2% em relação aos R$ 110,8 bilhões observados em novembro — durante todo o ano, a captação líquida chegou aos R$ 5,720 bilhões. Agora, com o cenário econômico mais estável, a tendência é que essa modalidade mantenha os índices de crescimento nos dois dígitos ao longo de 2019 e 2020.

Potencialize seus investimentos com o FIDC Valorem

Atenção: mesmo com previsões de encher os olhos de qualquer investidor, a verdade é que trabalhar com FIDCs exige tanta atenção quanto qualquer outra modalidade de investimento. Isso significa que não se pode abrir mão de uma boa análise de riscos, de uma assessoria técnica responsável e, é claro, de um controle eficiente das vulnerabilidades do mercado.

A boa notícia é que, no Valorem FIDC, o fundo é composto por uma grande variedade de recebíveis altamente pulverizados, de modo que as cotas de cada investidor não fiquem tão dependentes de poucos recebíveis. Em outras palavras, não há comprometimento da rentabilidade, resultando em um controle mais eficaz do investimento. Uma modalidade segura, eficiente e estável de aplicar dinheiro e multiplicar o seu patrimônio!

O Valorem FIDC também se diferencia do mercado em função de sua análise criteriosa dos títulos negociados, acompanhando periodicamente o cedente e o sacado, com o intuito de realizar o negócio com a menor taxa possível de vulnerabilidade.

Para entender com ainda mais detalhes o que é FIDC e como o da Valorem se diferencia dos demais existentes no mercado, entre em contato com a nossa equipe e saiba como investir com a gente! Nossos profissionais estão à disposição para tirar suas dúvidas e ajudá-lo a encontrar a melhor rentabilidade para os seus investimentos!

Comente