Investimentos

FIDC: o investimento mais vantajoso em renda fixa

Por 3 de abril de 2017setembro 27th, 2019Sem comentários

Dentre as opções para investimento em renda fixa, o Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) é uma opção que oferece vantagens muito interessantes. Ele é um investimento de longo prazo com aplicação de recursos em recebíveis, de modo que a origem dos direitos creditórios que formam a carteira de ativos são os créditos que uma empresa tem para receber. Este é o caso, por exemplo, de crédito consignado, aluguéis, descontos de duplicatas e vendas à prestação.

Para você entender melhor, imagine um fabricante de eletrodomésticos que vendeu um total de R$ 100 mil parcelados por meio de duplicatas. Embora ela tenha facilitado para clientes, a empresa precisa desse valor na íntegra para realizar alguns investimentos necessários para o desenvolvimento do negócio. Diante da urgência, o dono do empreendimento decide antecipar os recebíveis (parcelas pagas pelos compradores) em uma instituição financeira, que serão são repassados, então, para um FIDC na forma de direitos creditórios.

Assim, a fábrica recebe o valor total do crédito com o desconto de uma pequena taxa, utilizada para remunerar os investidores do fundo. E é importante ressaltar que os direitos creditórios podem ter origem nos mais diferentes segmentos: financeiro, comercial, industrial, imobiliário, de hipotecas, de arrendamento mercantil e de prestação de serviços. A variedade da carteira vai depender do que for estabelecido pelo regulamento do fundo e os investidores vão ficar indiretamente expostos aos retornos e riscos que esses recebíveis proporcionam.

Como o FIDC funciona

Conforme já comentamos rapidamente, todo FIDC tem um regulamento (além de outras disposições) que estabelece sua política de funcionamento, discriminando as características de atuação. Dessa forma, são estabelecidos os critérios de composição e de diversificação da carteira, os riscos (de crédito, de mercado e outros envolvidos) e, se for o caso, o segmento em que o fundo atuará. Com tudo isso determinado, pelo menos 50% do patrimônio dos investidores será destinado para uma aplicação em direitos creditórios e em títulos representativos desses direitos, enquanto o restante é direcionado para outros investimentos em renda fixa.

Sabe o fabricante de eletrodomésticos que utilizamos como exemplo? A instituição financeira procurada para antecipar os recebíveis dela pagou por eles com o dinheiro de algum dos FIDCs que administra, de modo que os direitos creditórios passam a pertencer aos cotistas. Assim, além de ficar com a taxa descontada do valor total, o fundo recebe também as prestações pagas pelos consumidores e o montante é investido novamente em outras carteiras. O resultado é que o rendimento é um dos maiores quando comparado a outros de renda fixa.

O FIDC pode ser constituído de duas formas: de condomínio aberto, quando os cotistas podem resgatar o valor de suas cotas de acordo com o regulamento estabelecido pela administradora, ou fechado, quando o valor é resgatado apenas após o término do prazo de duração do fundo. Mas há também a possibilidade de amortizar as cotas quando as orientações do regulamento determinam alguma possibilidade que permitam que isso ocorra, ou quando os cotistas assim decidem durante uma assembleia geral.

Quais são as vantagens desse investimento

Dentre as vantagens que o FIDC oferece, a alta rentabilidade em relação a outros investimentos semelhantes é a principal. Conforme já explicamos, isso acontece devido à forma como o dinheiro é aplicado na antecipação de recebíveis e em outros investimentos.

Os investidores também podem conseguir isenção fiscal ou garantia do Fundo Investidor de Crédito. Para se ter uma ideia, quando se trata de condomínio fechados, é possível pagar Imposto de Renda (IR) em uma data adiante do prazo original. E, se o investidor for uma pessoa física, a taxa de imposto varia inversamente proporcional ao prazo do fundo, de modo que ela pode chegar até 15%, caso o investimento passe de dois anos.

Outro importante benefício é que o rendimento do FIDC não varia com a oscilação do mercado. A rentabilidade dos direitos creditórios é pré-fixada no contrato, de modo que o investidor recebe a quantia previamente estabelecida, independentemente da valorização ou desvalorização da bolsa. Com isso, o FIDC é considerado um boa opção para diversificar os investimentos sem correr grandes riscos.

Se você ficou interessado e quer conhecer melhor esse investimento, entre em contato com nossa equipe. Nossos profissionais podem tirar suas dúvidas e ajudá-lo a diversificar sua carteira de forma segura e rentável. Para entender melhor esse assunto, baixe gratuitamente nosso e-book e descubra tudo sobre o FIDC!

Comente