Gestão

Saiba como negociar inadimplências no fim do ano para encerrá-lo sem pendências

Por 18 de outubro de 2019dezembro 17th, 2019Sem comentários
Negociar inadimplências no fim do ano

Chegou o momento! Não dá mais para deixar para depois. O ano está na reta final e as pendências que foram acumuladas até aqui não vão largar a sua empresa no ano que vem, não! Então, nada de acumular recebimentos atrasados! É hora de correr atrás das suas metas e iniciar o ano novo sem jabutis nas costas. Para isso, negociar inadimplências no fim do ano é essencial.

 

Nós já falamos repetidas vezes aqui no blog que as dívidas dos clientes não podem ser deixadas para depois. Ao identificar a falta de pagamento, uma iniciativa precisa ser tomada na hora. Porque deixar para depois é contrair o temido prejuízo de capital. Ou seja: é perda de dinheiro para sua empresa. E por melhor que ela esteja financeiramente, ninguém quer perder dinheiro à toa, concorda?

Quando cobrar inadimplentes

O melhor mesmo é começar a cobrança antes da inadimplência. Assim, você tem espaço de manobra para reverter um quadro de atraso antes que ele vire um problema grave. Mas se você não fez nem uma coisa, nem outra (nem cobrou antes da dívida vencer, nem imediatamente depois), o momento de solucionar essa pendência é agora.

 

Isso porque, como também já falamos por aqui, os endividados costumam esperar para negociar inadimplências no fim de ano. Esse é uma atitude, inclusive, recomendada por especialistas. Dessa maneira, dizem, quem deve pode conseguir melhores condições de pagamento diante da necessidade das empresas de não levarem pendências para o ano seguinte.

 

Sabendo disso, nós indicamos, lá no início do ano, que você se antecipasse a esse movimento e tentasse um acordo antes desse momento de maior pressão por parte dos clientes e das próprias metas da sua empresa. Mas como esse tempo passou, não tem jeito, agora é tudo ou nada porque depois de certo tempo nem vale mais a pena correr atrás desse dinheiro e você pode ficar para sempre com esse prejuízo.

Como negociar inadimplências no fim do ano

São dois fatores a se considerar para negociar inadimplências no fim do ano: quem tem a receber precisa fechar as metas de faturamento preestabelecidas. Quem tem dívida, pode não querer começar o ano novo já com pendências. É por esse caminho que é possível buscar uma solução e chegar a um acordo. 

 

Há, no entanto, um empecilho: a exigência de descontos que falamos há pouco pode comprometer a recuperação integral dos valores. Por isso, nada melhor do que ter a assistência de uma assessoria de cobrança. Claro, a assessoria de cobrança não serve apenas para tentar reaver ao máximo os valores pendentes com os acréscimos (juros e multas). 

 

Em primeiro lugar, com uma assessoria de cobrança a sua empresa pode ter uma consultoria qualificada para planejar a melhor estratégia antes de partir para a etapa de negociação. Essa estratégia envolve a identificação do que já foi feito, o alinhamento de todas essas ações com as novas iniciativas a serem tomadas e um plano de ação para executá-las.

 

A partir disso, é tarefa da assessoria de cobrança conseguir o melhor resultado, mesmo ao negociar inadimplências no fim do ano. É que nessa época as empresas naturalmente têm mais custos, especialmente trabalhistas, o que pode dificultar esse trabalho. Mas com a técnica correta e com os profissionais capacitados, é possível ter um bom retorno.

 

Fechando o acordo com o cliente inadimplente, o segundo objetivo é negociar o melhor valor, com um mínimo de perda para a sua empresa. Lembre-se: a perda já aconteceu. Como dissemos, no primeiro dia pós-vencimento a sua empresa já começou a ter prejuízos com esse atraso. Mas entre perder pouco, muito ou tudo, é melhor perder pouco, concorda?

A importância de uma assessoria de cobrança

Ficou claro que uma assessoria de cobrança é indispensável nesse trabalho, não é mesmo? É um desafio complexo, mas totalmente encarável por quem conhece o caminho das pedras. Essa realidade não é a mesma se, por exemplo, você decidir fazer a cobrança internamente, por mais boa vontade que exista.

 

Sabemos que já existe o prejuízo da falta de pagamento do seu cliente. Adicionar um custo extra, que é de organizar os recursos e a infraestrutura para assumir essa demanda internamente, só vai trazer mais perdas. Sem contar todas as variáveis no processo de internalização desse trabalho.

 

Cobrar internamente exige profissionais específicos para essa função, além de uma infraestrutura para isso. Esses dois fatores podem vir a ser um problema diante da oscilação na demanda por cobrança, que nem a contratação temporária de profissionais é capaz de resolver adequadamente. Tornar esse processo automatizado também não é garantia de eficácia.

 

Então, conte com uma assessoria de cobrança para negociar inadimplências no fim do ano, mas não só nesta época! Para o ano seguinte, considere fazer a cobrança de forma permanente, antes mesmo do vencimento, como sugerimos lá no início do artigo. Só assim, esse sufoco de recuperar os valores nas vésperas do apagar das luzes do ano corrente vai ser menos sentido.

 

Comente