Assessoria de cobrança

Causas da inadimplência nas empresas: descubra e corrija!

Por 18 de abril de 2018dezembro 2nd, 2019Sem comentários

Realizar uma cobrança é uma tarefa desconfortável para qualquer pessoa envolvida no processo. Se de um lado há um cliente que não tem como honrar seus compromissos conforme o planejado, do outro há uma empresa que depende desses valores para manter a saúde financeira em dia. Por isso, é essencial entender as causas da inadimplência para poder fugir deste problema.

 

E quando falamos em causas da inadimplência temos que olhar para os todos os envolvidos no processo. Na sua própria empresa pode haver situações que favoreçam essa condição de risco. Da parte do cliente, há uma série de indícios aos quais vale ficar atento para antecipar alguma atitude que pode vir a trazer atrasos no pagamento. E num contexto geral, a situação econômica do país ou do setor em que a sua empresa ou o seu cliente atuam pode trazer algumas respostas. Mas vamos detalhar tudo isso melhor ao longo deste artigo.

A culpa da sua empresa na inadimplência do cliente

Nem sempre os incômodos com a inadimplência são culpa do cliente que deixou de pagar. É preciso reconhecer que procedimentos frágeis e políticas pouco estruturadas expõem a sua própria empresa a um risco bem alto de sentir este problema no caixa. Portanto, é preciso verificar como essa questão está sendo tratada internamente para qualificar o modo de agir.

 

O primeiro cuidado necessário é saber avaliar o cliente. É óbvio que toda empresa quer atender mais e mais para aumentar o faturamento e buscar o desenvolvimento. Porém, essa busca não pode ser realizada a qualquer custo. É preciso conhecer com quem se relaciona, verificar a capacidade de pagamento do futuro cliente e garantir um alinhamento operacional entre as empresas.

 

Quer dizer, é necessário sintonia para que o contrato signifique lucro para o seu negócio, e não incômodos, atrasos em relação a outros clientes e gastos com pessoal e infraestrutura para atender a uma demanda incompatível com a sua capacidade.

 

Contrato assinado e produto entregue, é hora de acompanhar este cliente. Não é porque a sua parte foi realizada que deve-se confiar cegamente na pontualidade do pagamento. O ideal é estar presente e não deixar nenhuma razão para justificativas e desculpas futuras em consequência de atraso no pagamento.

 

Entretanto, se nada suspeito for identificado antes do vencimento, e passada a data do pagamento ele não tiver sido realizado, é hora de começar a fazer a cobrança questionando prazos e, se for o caso, oferecendo oportunidades para quitação da dívida o quanto antes. Obviamente que é necessário haver pessoas preparadas para que este trabalho seja efetivo e, tão importante quanto isso, não represente um incômodo para o cliente.

Causas da inadimplência pelo contexto econômico

A realidade econômica do país, do mundo ou mesmo do setor de atuação do cliente são bastante relevantes na indução a uma situação de inadimplência. Por exemplo, digamos que o seu cliente seja uma pequena fábrica de brinquedos artesanais. Em uma situação de crise nacional, em que as pessoas estão evitando gastos que não sejam imprescindíveis, certamente a venda de brinquedos ― ainda mais estes com maior valor agregado e fora de épocas sazonais ― terá um impacto negativo.

 

Assim, se uma empresa como esta, diante de tal contexto, procura o seu negócio para fechar um contrato, é bom restringir um pouco mais as opções de crédito, a não ser que você esteja disposto a correr riscos. Se, no entanto, este potencial cliente tiver um histórico positivo e se apresentar organizado e com uma estrutura financeira sólida, ainda assim é bom fazer um acompanhamento próximo. Caso uma inadimplência estiver prestes a acontecer, é provável que tenha sido obra do imprevisto. Daí, toda ajuda é essencial para cultivar esse relacionamento.

 

Mas pode haver situações pontuais, como greve de caminhoneiros ou de algum fornecedor do seu cliente, parada de produtos na alfândega, atrasos de chegada de navios nos portos, enfim, acontecimentos que podem interferir na produção do cliente e, consequentemente, nas vendas dele. Se esses fatos tiverem uma escala a ponto de, visivelmente, interferir nos trabalhos dele, é bom ficar atento. Ali pode haver uma séria chance de inadimplência.

 

Atitudes do cliente que levam à inadimplência

Falta de controle do estoque e do fluxo de caixa e alto endividamento na praça, seja com fornecedores, seja com linhas de crédito, são itens que devem acender o primeiro sinal de alerta. Por isso, é interessante conhecer com quem a sua empresa vai ter um relacionamento comercial para saber se este novo cliente cultiva estes hábitos negativos.

 

Existindo o hábito deste potencial cliente em fazer distribuição de lucros antes de se organizar financeiramente, aí está um indício de que há mais interesse em preservar uma condição pessoal de vida do que uma preocupação séria com os negócios.

 

Ainda nessa questão de misturar pessoal com corporativo, se o cliente mistura as contas da empresa com a particular, o problema é bem sério. Se não prova o risco de inadimplência, pelo menos comprova a falta de prioridades e de gestão das finanças.

 

A falta de planejamento financeiro, a qualidade inferior dos produtos (que gera reflexos na satisfação dos clientes deste cliente) e a ausência de investimentos (em produtos, melhorias, expansão, marketing) revelam uma capacidade menor de desenvolvimento. Em algum momento, isso pode resultar em abalo nas finanças.

 

Considerando estes pontos, podemos dizer que este último tópico do nosso artigo está intimamente relacionado ao primeiro. Caso a sua empresa tenha uma estrutura de cobrança capaz de identificar essas características nas empresas que a procuram para fechar negócio, grande parte do trabalho de prevenção estará concretizado.

 

Mas, como já dissemos aqui no blog, é importante ter uma equipe especificamente dedicada a cuidar desses assuntos. Por isso, de nada adianta estar atento a todos esses sinais se você tem colaboradores acumulando suas funções originais com atividades de cobrança. No fim, nada ficará bem feito.

 

Por isso, conheça as vantagens de terceirizar a cobrança e veja como uma assessoria de cobrança tem o potencial de transformar o relacionamento com seus clientes e, ainda, cuidar com mais critério das suas contas a receber.

 

Se precisar de suporte financeiro nesse desafio, fale com a gente aqui na Valorem e confira como podemos contribuir para auxiliar o seu negócio. Se preferir, deixe a sua mensagem no espaço abaixo.

Comente